domingo, 6 de janeiro de 2013

MULHER DE BARBA....



Vivian
Até ai beleza, por que o Guiness só tem extremismo mesmo, mas o que chama a atenção é que "Vivian teve quatro maridos, com os quais teve três filhos."
************************************************
A adolescência não é mesmo fácil: hormônios, descobertas e muitas dúvidas tornam a despedida da infância a fase mais difícil da vida de muitos. Mas, para Nana, uma chinesa de 16 anos, este período tem sido bem mais doloroso que o comum. Com uma doença rara que faz engrossar os pelos, a menina tem barba e bigode e, segundo o site Mail Online, não sai mais de casa.

Todos os dias ela chora… – diz a mãe Zinhua, contando que a jovem não frequenta mais a escola desde 2010 por causa de sua condição.

Segundo ela, Nana, que preferiu se identificar apenas com o primeiro nome, era uma menina animada, mas está se tornando cada vez mais reclusa. Ela usa uma máscara de papel sobre o rosto e mangas compridas quando está em público.

Há dias em que Nana não fala uma palavra… Ela passa horas escondida em seus livros, no quarto, sozinha – disse a mãe ao Mail Online.

A jovem viu os pelos engrossarem depois de passar por um tratamento com drogas pesadas. Diagnosticada com anemia em 2010, a medula óssea de Nana não produzia quantidade suficiente de células sanguíneas novas.

O médico disse que o que ela tinha era muito grave e sem tratamento poderia morrer – disse a mãe…

Submetida aos medicamentos, sua saúde melhorou, mas foi então que as mudanças físicas começaram a acontecer:

Depois de tomar essas drogas, começou a crescer uma espessa barba negra, e seus braços e pernas ficaram cobertas com pelos…

De acordo com a Universidade de Maryland, cerca de oito porcento das mulheres nos EUA têm esta doença, chamada de “hirsutismo”.
Algumas mulheres têm muitos pelos, tanto no rosto quanto no corpo, o que pode afetar a autoestima e prejudicar a qualidade de vida. O excesso pode configurar hirsutismo, um sintoma muitas vezes relacionado à Síndrome do Ovário Policístico (SOP), e tem tratamento.

O hirsutismo pode ser causado por aumento de hormônios masculinos produzido normalmente nas mulheres, ou por uma sensibilidade maior dos receptores da pele destas pacientes a estes hormônios. Ambas as causas estimulam o surgimento de pelos. As regiões onde eles são mais frequentes são face, tórax, abdome e dorso – justamente locais incomuns para mulheres. Além disso, têm aspecto terminal, ou seja, são mais duros e escuros.

O grau do sintoma pode ser determinado por meio de exame físico, com contagem nas áreas onde os pelos estão presentes. Para isso, o médico utiliza a chamada tabela de Ferriman, que engloba nove locais que onde os pelos costumam aparecer em homens e os classifica segundo a intensidade.

Por estar relacionado a modificações hormonais, o hirsutismo pode estar associado a alterações no ciclo mestrual (por exemplo, tempo maior entre uma menstruação e outra). Também pode haver queda de cabelo e acne, segundo a ginecologista Cássia Teatin Juliato, do Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher (Caism), da Unicamp.

Tratamento

Na maioria dos casos, o hirsutismo é um sintoma da Síndrome do Ovário Policístico. O aumento dos níveis de hormônio masculino, um dos problemas causados pela doença, também gera maior produção de oleosidade pela glândula sebácea — facilitando o surgimento de espinhas. Pode ocorrer irregularidade do ciclo menstrual, causado pelo quadro de anovulação crônica, que por sua vez, aumenta os hormônios masculinos, gerando um ciclo vicioso. O problema pode ser agravado ainda se houver sobrepeso ou obesidade, que causam um estado de resistência a insulina, que hoje em dia, é considerado pelos médicos como a principal causa da SOP.

Quando a causa do hirsutismo é a SOP, o tratamento pode envolver o uso de pílulas anticoncepcionais, que amenizam a produção excessiva do hormônio masculino. A medida costuma resolver o problema de excesso de pelos e acne, além de regular o ciclo menstrual. O tempo de tratamento depende da resposta de cada mulher, esclarece a dra. Cássia, que também é professora da Unicamp.

O hirsutismo também pode não ter causa definida (idiopático, no jargão médico). Em geral, usam-se então medicações como espirolactona ou ciproterona, diz a ginecologista da Unicamp. Outra opção é realizar terapia a laser para destruir folículos pilosos e diminuir a quantidade de pelos.

Existem ainda causas mais raras, como tumores de adrenal (glândula localizada no topo de cada rim) e ovarianos. Por isso, é muito importante que o exame clínico verifique se há sinais de masculinização ou androgenização, que são mais frequentes quando há tumor, explica a médica.

Siobhain Fletcher decidiu fazer parte da campanha mundial e deixou sua barba crescer (Foto: Reprodução)
Fletcher
 Fletcher, de 36 anos, possui síndrome do ovário policístico (SOP) desde a adolescência, e essa condição faz com que a mulher tenha um desequilíbrio hormonal, o que pode fazer com que ela desenvolva certas características masculinas, como pelos no rosto e em outros lugares do corpo.
***************************************************************

A estudante de neurociência e psicologia da universidade Ohio State, Balpreet Kaur que é praticante da fé Sikh (religião indiana), deu um exemplo de como lidar com a bullying na internet. Kaur foi fotografada em uma fila com o tradicional turbante utilizado pelos sikh e com pelos faciais – bigode, cavanhaque e costeletas – por um colega da mesma universidade.

Sob a foto, publicada no Reddit, o usuário colocou a legenda: “eu não sei o que pensar disso ainda”. Em função de sua crenças, Balpreet não altera a sua aparência, por isso estava com os pelos no rosto.No mesmo mural em que a foto aparece originalmente, ela escreveu: “Se quisessem uma foto, bastaria ter pedido que eu poderia sorrir para a câmera”.

O post continua explicando as crenças da universitária, de que “o corpo é um presente dado pelo Ser Divino… assim como uma criança não rejeita os presentes dados pelos pais, os siques não rejeitam o corpo que lhes foi dado”. Segundo o site Mashable, os posts de Balpreet geraram uma “onda de apoio” à estudante que chegou ao autor original da mensagem no Reddit.
Ele escreveu: “eu senti necessidade de me desculpar com os sikh, com Balpreet e com qualquer outra pessoa que tenha se sentido ofendido com a imagem. Publicá-la foi simplesmente uma estupidez. Tirar uma onda com a cara das pessoas é engraçado para alguns, mas incrivelmente degradante para as pessoas de quem se fala. Foi incrivelmente rude, preconceituoso e ignorante postar isso”.

Mais de 1.500 comentários foram publicados no fórum do Reddit com a imagem da estudante sikh. Com informações do Terra

Nenhum comentário:

Postar um comentário